5 Anos de luta: sem reparação integral o crime se renova

Há 5 anos as comunidades atingidas pela barragem de rejeitos da Samarco, Vale e BHP Billiton lutam pela reparação integral das perdas e danos sofridos. Hoje (12), às 18h, os membros das comunidades atingidas de Mariana, Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado irão discutir os problemas e desgastes que o atraso da reparação integral por parte das mineradoras causa na vida das comunidades. Os participantes também vão falar sobre a Matriz de Danos feita pelas comunidades, assessorias técnicas e pesquisadores. A live conta com a participação de Antônio Carlos da Silva, de Santa Cruz do Escalvado/ Chopotó; Hermínio Amaro do Nascimento, de Barra Longa; José Maurício Pereira, de Rio Doce; e Luzia Queiroz, de Mariana, com a mediação da advogada e assessora técnica da Aedas, Verônica Viana.
A atividade é realizada através da parceria entre a Cáritas Minas Gerais, Aedas e Rosa Fortini – assessorias técnicas das comunidades atingidas – e as comissões de atingidos de Mariana, Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado.
#Mariana5Anos #OCrimeSeRenova #ReparaçãoIntegral #AtingidosPelaMineração #MatrizDeDanos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.